#PERSONALIDADE: Chimamanda Ngozi Adichie

Olá, lindezas!

Hoje vocês vão conhecer um pouco mais da maravilhosa Chimamanda Ngozi Adichie.

73575692_chimamanda.jpg

A Chimamanda é uma escritora, feminista e palestrante nigeriana. Ela é filha de um professor e de uma secretária da Universidade da Nigéria, tem cinco irmãos. Cresceu na Nigéria e foi estudar nos Estados Unidos com 19 anos. Tem mestrado em estudos africanos em Yale. Ela possui algumas obras publicadas.  Seu primeiro romance foi escrito em 2003, Hibisco Roxo. Ganhou prêmios com suas publicações e no ano de 2010, ela entrou em uma lista que contemplava os 20 autores de ficção mais influentes com menos de 40 anos.

Chimamanda-Ngozi-Adichie.jpg

Em 2013, seu romance “Americanah” foi selecionado pelo New York Times como um dos 10 Melhores Livros do ano.Depoimento da blogueira: Eu encontrei esse livro por acaso (não conhecia Chimamanda ainda) e me apaixonei pela capa, quando vi a sinopse e a breve história da autora, levei para casa e estou encantada. Minha melhor compra do ano!

13525_gg
Capa de Americanah no Brasil

Ela já fez palestras através do TED, que são conferências de disseminação de ideias. E foi em um discurso chamado “We Should all be Feminists” (Devemos todos ser feministas), em 2012, que ela ficou conhecida mundialmente. Em um discurso feminista que foi parar na música Flawless, da nossa querida Beyoncé. Vocês podem conferir essa maravilha nesse vídeo:

Trecho colocado na música (tradução): “Ensinamos as meninas a se encolherem para se tornarem ainda mais pequenas. Dizemos para meninas: ‘Você pode ter ambição, mas não muita. Você deve ansiar para ser bem sucedida, mas não muito bem sucedida. Caso contrário, você vai ameaçar o homem’. Porque sou do sexo feminino esperam que eu almeje o casamento, esperam que eu faça as escolhas da minha vida, que sempre tenha em mente que o casamento é o mais importante. Agora o casamento pode ser uma fonte de alegria, amor e apoio mútuo, mas por que ensinamos as meninas a ansiar ao casamento e não ensinamos a mesma coisa para os meninos?  Criamos as meninas para serem concorrentes não para empregos ou para conquistas que eu acho que podem ser uma coisa boa, mas, para a atenção dos homens. Ensinamos as meninas que não podem ser seres sexuais da mesma forma que os meninos são. Feminista – a pessoa que acredita na vida social, igualdade política e econômica entre os sexos.”

Hoje, Chimamanda fica na ponte aérea entre Nigéria  e Estados Unidos com suas oficinas e palestras. Ela foi a primeira mulher a ser Chefe da Administração da Universidade da Nigéria.

3d752832720a6b32a6e9b0838ae2a509.jpg

Chimamanda é uma injeção de jovialidade no discurso feminista e negro. É uma grande honra ler seu livro (Americanah) e saber um pouco mais de suas percepções. Procurando por ela na internet, em diversos sites a encontrei como umas das 10, 15 pessoas que lutam para o feminismo ser disseminado. Além de tudo isso, Chimamanda é símbolo fashion! Vocês podem conferir um pouco desse lado na matéria da Vogue (clique aqui para acessar). Espero que eu tenha ajudado a passar um pouco do que ela representa a todos que leem o blog.

~ Fan page: Chimamanda Adichie | Site oficial: http://chimamanda.com/

Fonte das imagens: patriciarammos.com | coisasdemariana.com | hellogiggles.com | companhiadasletras.com.br

 

Grande beijo,

Duda @negraecrespa

 

P.S.: Aceito sugestões para o próximo “#Personalidade”, ok?

Anúncios

REPRESENTATIVIDADE DA MULHER NEGRA NA MÍDIA BRASILEIRA

Boa noite, lindezas!

Alô, alô tema polêmico no ar!!!

Para quem não sabe esse semestre estou realizando meu TCC de Gestão Ambiental, curso  superior que faço em Porto Alegre (você pode me seguir no Snap: DUDABUCHMANN para saber essas coisas :D), mas enfim, na cadeira de TCC tive que apresentar algo para avaliar a apresentação oral (em tema livre). E claro que escolhi um tema que tivesse a ver com o blog. Optei por falar da representatividade negra feminina na mídia brasileira.

NARAÇA

Resolvi colocar na íntegra os prints dos slides por aqui. Apesar da maior parte da apresentação ter sido oral, acho importante começar a discussão tratando do assunto superficialmente (afinal, eram 10 minutos). Quem sabe um próximo post completo com as opiniões de vocês junto das minhas?

Então, lá vai:

representatividaderepresentatividade1representatividade2representatividade3representatividade4representatividade5representatividade6representatividade7representatividade8representatividade9representatividade10representatividade11

E então. Complicado, não é?

Será que um país com a maior população negra fora do continente africano precisa de uma lei para ter representação na mídia?

Será que a maior representatividade nos últimos anos nas áreas televisivas, publicidade, produtos é por conta da “moda” e pelo aumento de mídias sociais sobre isso ou continuará aumentando?

Até quando seremos maioria empregadas, faxineiras, marginalizadas?

representatividade12.jpg

São tantos questionamentos, não é mesmo? Gostaria de abrir essa discussão com vocês! Por favor, deem suas opiniões, depoimentos e críticas nos comentários e redes sociais Negra e Crespa para conversarmos sobre?

Grande beijo,

Duda @negraecrespa

 

MARCHA DO ORGULHO CRESPO EM PORTO ALEGRE

A contrário do que muitos imaginam, há muitos negros no Sul e é cheio de gente com cabelo crespo 🙌🙌🙌 Só em Porto Alegre mais de 20% da população é negra.

Há dois domingos (15/11) aconteceu a Marcha do Orgulho Crespo em Porto Alegre, capital do Rio Grande do Sul e eu tive a felicidade de estar presente e ver tanta gente bonita e feliz com seu cabelo. A primeira Marcha aconteceu no mês de julho, em São Paulo e foi organizada pelas meninas do Blog das Cabeludas (@blogdascabeludas) e a ideia se espalhou pelo Brasil (ainda bem!)!

Apesar de o título ser “Orgulho Crespo” a marcha não se resume a apenas o próprio cabelo. É um resgate de auto estima, valorização da cultura negra, a questão de identidade e o registro da resistência em nós mesmos. Muitas pessoas começam a autoafirmação e aceitação negra através dos cabelos (de certa forma foi o meu caso) e isso é maravilhoso!

Foi um encontro lindo, onde haviam pessoas (principalmente mulheres) de todas as idades e tipos de cabelo. Aproximadamente 400 pessoas afirmando gostarem do que veem no espelho e do que sentem em sua alma.

Abaixo algumas fotos maravilhosas desse evento tão lindo:

~ Não esqueçam de abrir cada uma delas para ver essas cores no tamanho real da foto!

E ainda tive o prazer de encontrar pela primeira vez algumas leitoras (agora amigas!) e fiquei tão tão feliz! Amei conhecer vocês! Aqui algumas:

Ansiosa para a próxima marcha!

 

Grande beijo,

Duda @negraecrespa

CELEBRANDO A MULHER TRANÇADA

Polêmica atrás de polêmica.

Meu objetivo não é dar ibope a uma suposta “opinião” completa de racismo, preconceito e desconhecimento que ocorreu há alguns dias atrás. Não vou aqui julgar alguém que nem tem noção do que diz, muito menos uma revista que está acostumada a espalhar discursos carregados de preconceito (e uma hora terá que parar!!!). Eu quero falar do lado bom dessa história, da mobilização de muita gente para defender o que não deveria precisar de defesa. A mulher do “cabelo ruim” (que de ruim não tem absolutamente NADA), de cabelo crespo, a mulher com trança, a mulher dona de si e que tem o cabelo livre para fazer o que bem entender.

Esse post é para celebrar essas mulheres (e homens!) e mostrar a beleza delas.

Lembro quando eu era pequena e cheguei a fazer tranças, eu tinha uns 12 anos e passei uma semana feliz da vida! Como era com cabelo natural e demorou para fazer, não repeti. Mas tenho curiosidade. Depois das fotos que selecionei para colocar nesse post, a vontade veio com força total. Talvez eu faça em breve.

As tranças, além de ser uma questão de estilo, personalidade e mudança de visual. É um escape para quem está em transição capilar. A quem diga que o cabelo cresce mais rápido, mas não há comprovação. Mas a certeza é que ajuda muito nessa fase, principalmente para não precisar conviver com a fase mais complicada dessa transição que é estar com duas texturas muito diferentes no cabelo (parte lisa e cacheada/crespa).

Hoje em dia não é mais tão comum tranças com o próprio cabelo. Procurando fotos de inspirações, percebi que estão sendo usadas muitas tranças box braids, nagô. Que são aquelas que são com cabelo sintético e o resultado fica massa!

A seguir, algumas fotos dessas mulheres (entre celebridades e leitoras 💚) maravilhosas que aderiram as tranças para dar um toque lindo no visual.

Trança vale em qualquer idade, qualquer cor, qualquer tamanho. Que seja livre! Clique em cada foto para ampliá-la.

“Qual foi o idiota que concluiu que meu cabelo é ruim? Qual foi o otário equivocado que decidiu estar errado o meu cabelo enrolado? Ruim pra quê? Ruim pra quem? Infeliz do povo que não sabe de onde vem.”

Trecho de Milionário do Sonho, poema já comentado em post anterior (clique aqui para rever).

Grande beijo,

Duda @negraecrespa

” MILIONÁRIO DO SONHO” E A LIBERDADE DE SER O QUE SE É

“Tendo um cabelo tão bom, cheio de cacho em movimento, cheio de armação, emaranhado, crespura e bom comportamento, grito bem alto, sim! Qual foi o idiota que concluiu que meu cabelo é ruim? Qual foi o otário equivocado que decidiu estar errado o meu cabelo enrolado? Ruim pra quê? Ruim pra quem?
Infeliz do povo que não sabe de onde vem
Pequeno é o povo que não se ama, o povo que tem na grandeza da mistura o preto, o índio, o branco, a farra das culturas
Pobre do povo que, sem estrutura, acaba crendo na loucura de ter que ser outro para ser alguém”

Trecho de Milionário do Sonho – Elisa Lucinda (MARAVILHOSA!)

Recitado pela autora e Emicida no álbum: O Glorioso Retorno de Quem Nunca Esteve Aqui, Emicida (2013)

Para começo de conversa: isso não se trata de cabelo apenas, isso é sobre a liberdade de ser quem se é e de aceitar a diversidade a sua volta. O que importa é ser do bem e nada mais. O Brasil é mistura, o Mundo é mistura. Ninguém aguenta mais a ditadura da perfeição, o preconceito velado chega! Quem ainda não entendeu, má notícia: deve se acostumar. E o movimento dos “oprimidos” está e vai continuar crescendo. Porque eles (nós!) já entenderam que têm voz. Eu ainda acho estranho ter que falar disso. Estamos em 2015, POXA! É difícil pensar que as pessoas gostam de ver que tá tudo igual, todo mundo com a mesma cabeça, com o mesmo físico, com as mesmas palavras. A diferença é tão linda!

Meu primeiro desejo com a página no instagram e depois aqui foi incentivar a auto estima, acho que isso liberta da prisão de não ser você mesmo e abre a mente para aceitar o próximo.

Vamos nos amar e respeitar o próximo? É bem fácil. Desafio a cada um de vocês.

Por fim, fui superficial e não era esse o meu objetivo, mas, por ora é isso.

Grande beijo,

Duda @negraecrespa