REPRESENTATIVIDADE DA MULHER NEGRA NA MÍDIA BRASILEIRA

Boa noite, lindezas!

Alô, alô tema polêmico no ar!!!

Para quem não sabe esse semestre estou realizando meu TCC de Gestão Ambiental, curso  superior que faço em Porto Alegre (você pode me seguir no Snap: DUDABUCHMANN para saber essas coisas :D), mas enfim, na cadeira de TCC tive que apresentar algo para avaliar a apresentação oral (em tema livre). E claro que escolhi um tema que tivesse a ver com o blog. Optei por falar da representatividade negra feminina na mídia brasileira.

NARAÇA

Resolvi colocar na íntegra os prints dos slides por aqui. Apesar da maior parte da apresentação ter sido oral, acho importante começar a discussão tratando do assunto superficialmente (afinal, eram 10 minutos). Quem sabe um próximo post completo com as opiniões de vocês junto das minhas?

Então, lá vai:

representatividaderepresentatividade1representatividade2representatividade3representatividade4representatividade5representatividade6representatividade7representatividade8representatividade9representatividade10representatividade11

E então. Complicado, não é?

Será que um país com a maior população negra fora do continente africano precisa de uma lei para ter representação na mídia?

Será que a maior representatividade nos últimos anos nas áreas televisivas, publicidade, produtos é por conta da “moda” e pelo aumento de mídias sociais sobre isso ou continuará aumentando?

Até quando seremos maioria empregadas, faxineiras, marginalizadas?

representatividade12.jpg

São tantos questionamentos, não é mesmo? Gostaria de abrir essa discussão com vocês! Por favor, deem suas opiniões, depoimentos e críticas nos comentários e redes sociais Negra e Crespa para conversarmos sobre?

Grande beijo,

Duda @negraecrespa

 

Anúncios

RACISMO. DE NOVO E DE NOVO.

Essa ilustração maravilhosa e a legenda do Ribs me deixaram a dúvida, será que essa “gangue do mal” da internet afetou a Maju e a Taís Araújo por elas serem negras ou por elas serem negras bem sucedidas ou pior, por puro prazer de saber que estará na mídia com algo tão perturbador?

Será que esses preconceituosos da internet também atingem as negras “não famosas” e nós não ficamos sabendo? (Se você já foi vítima desse tipo de ataque, por favor, denuncie e peça ajuda para tornar o caso público, não tenha vergonha e nem medo – é fácil falar, eu sei, mas é importante atitude nessa hora -)

No último final de semana, repetiu-se os ataques a uma mulher negra pública. Taís Araújo, atriz, teve sua rede social atacada por vários fakes que propagam ódio. Pessoas de cabeça vazias e sem o menor espírito humano. Triste, muito triste. Mas principalmente revoltante. Comentários racistas tiveram centenas de curtidas, com certeza de pessoas que não fazem parte desse grupo específico, ou seja, alimentou o preconceito de vários.

Ninguém além de quem sofre esse tipo de preconceito tem ideia do quanto dói. É algo que não tem como definir em palavras. Dói mais ainda saber que muitas pessoas sofrem desse mal. Cor de pele ou textura capilar não define caráter, capacidade ou qualquer outro adjetivo.

O Brasil é tão grande e na maior parte recheado de gente negra com cabelo crespo/cacheado. Até quando teremos que ouvir/ler esse tipo de horror? O tempo de qualquer um seria muito melhor gasto fazendo qualquer outra coisa.

O que resta é espalharmos muito amor e DENUNCIAR. SEMPRE.

  • Se você já criticou alguém desnecessariamente, foi preconceituoso, largou energias ruins por aí, REPENSE.

Toda minha solidariedade a Maju, a Taís e a todas as mulheres que sofrem qualquer tipo de preconceito.

Grande beijo,
Duda @negraecrespa